Na Atlas Renewable Energy, assinamos recentemente um acordo de compra de energia renovável com a subsidiária brasileira da gigante americana de ciência dos materiais Dow. Este acordo histórico estabelece a estrutura para que as empresas químicas em toda a América Latina alcancem seus objetivos ambientais, ao mesmo tempo em que reduzem os custos de energia. Neste artigo, analisamos mais de perto o que torna este projeto tão inovador.

Como a maioria das empresas industriais, há muito tempo a Dow procura reduzir as implicações ambientais e de custos de suas atividades intensivas em energia. Sua posição de liderança como fornecedor de produtos químicos, plásticos, fibras sintéticas e produtos agrícolas, também significa que ela é um dos maiores consumidores de energia industrial do mundo.

No passado, a Dow utilizou energia de rede e combustíveis fósseis para alimentar suas usinas, mas como a energia renovável se tornou mais competitiva e disponível nos últimos anos, ela começou a repensar seu portfólio de energia, estabelecendo uma meta difícil, que consiste em suprir 750 MW de sua demanda de energia com energias renováveis até 2025, e alcançar neutralidade de carbono até 2050.

Para ajudar a atingir este ambicioso objetivo, a empresa fez uma parceria com a Atlas para fornecer energia limpa ao seu complexo Aratu no Brasil, a maior fábrica da Dow no país.

Este acordo pioneiro não só evita aproximadamente 35.000 toneladas métricas de emissões de CO2 por ano – o equivalente a tirar cerca de 36.800 carros das ruas de São Paulo – mas lança também as bases para que o resto da indústria química latino-americana aproveite os benefícios da energia renovável para alcançar as metas de mitigação da mudança climática, ao mesmo tempo em que mantém os preços estáveis da energia a longo prazo.

CRIANDO EFICIÊNCIAS

Sob o contrato de 15 anos de compra de energia, forneceremos à Dow a energia limpa de nosso projeto solar Jacaranda de 187MWp, localizado no município de Juazeiro, no estado da Bahia. A usina gerará 440GWh por ano, o que é suficiente para fornecer energia a uma cidade com mais de 750.000 habitantes, permitindo que a Dow se aproxime de suas metas de fornecimento de energia renovável.

Um dos principais problemas com a energia solar é a intermitência – o sol não brilha 24 horas por dia. Como a Dow precisa de energia o dia todo, a Atlas vai trocar energia de Jacarandá com outros fornecedores de energia renovável, para garantir um fornecimento de ciclo completo. Essencialmente, ao empacotar nossa energia solar com fontes renováveis adicionais que estão disponíveis no mercado, tornamos possível para a Dow suprir todas as suas necessidades de energia com energias renováveis e não apenas suas necessidades diurnas. É a primeira vez que isso é feito no Brasil e abre oportunidades para empresas que podem ter sido dissuadidas do uso de renováveis devido ao seu perfil de demanda de energia elétrica.

Como um grande usuário de energia, a eletricidade é responsável por uma proporção enorme dos custos fixos da Dow, e mesmo o menor aumento, pode ter um enorme impacto em seus resultados. Para lidar com isso, a Atlas incorporou uma série de medidas de aumento de eficiência. 

A primeira são os módulos bifaciais utilizados na planta, que podem proporcionar um ganho de geração de energia de até 9% sobre painéis faciais mono equivalentes, reduzindo o uso do solo para a mesma quantidade de eletricidade. Em segundo lugar, o projeto está sendo conectado à subestação digital da Atlas, o que melhora a controlabilidade e a confiabilidade, otimizando os custos. Mas a eficiência não pára por aí: também implementamos uma estrutura única de financiamento em dólares americanos, que criou uma cobertura natural de moeda.

FALANDO A MESMA LÍNGUA

Ao selecionar um parceiro para ajudá-la a atingir seus objetivos, a Dow estava procurando uma empresa com os mesmos valores. É por isso que, além de energia limpa e preços favoráveis como parte do Atlas Green Finance Framework – nosso compromisso de desenvolver projetos que protejam e preservem o meio ambiente – também incorporamos nossa assinatura de compromisso social. Na fábrica de Jacaranda, estamos oferecendo oportunidades à comunidade local que promovem a diversidade e a inclusão dentro do processo de contratação da obra. Para fazer isto – e fazer isto bem – trouxemos ONGs e autoridades locais para nos ajudar a fornecer treinamento em campos especializados às mulheres locais, e estamos incentivando nossos empreiteiros locais a priorizar pessoas de origem minoritária em seus processos de contratação.

UM PARCEIRO CONFIÁVEL E CAPAZ

Conseguir tudo isso durante a turbulência e a agitação que 2020 trouxe ao mundo, não foi uma proeza sem importância. Trabalhamos muito para garantir a saúde e a segurança dos trabalhadores em nossas instalações porque sabemos como a energia renovável é importante para a recuperação da economia da América Latina pós-Covid19. Como resultado, nossa capacidade operacional, nossa execução e nossa velocidade de fechamento têm permanecido ótimas.

Temos sido capazes de fazer tudo isso porque não somos novatos nisto. Já temos quatro projetos em operação no Brasil e vários outros em toda a região. Todos eles foram entregues dentro do prazo e do orçamento, o que reforçou nossa reputação entre financiadores e parceiros. Por causa disso, apesar do difícil cenário econômico e financeiro, estamos na posição privilegiada de poder negociar condições favoráveis de financiamento – o que se traduz em economia de custos que podemos repassar aos nossos clientes.

O INÍCIO DE UMA TENDÊNCIA

Na América Latina, a energia renovável já é tão acessível quanto – se não mais barata do que – as fontes tradicionais. Este Acordo de Compra de Energia Corporativa, que alavanca a inovação financeira, operacional e tecnológica, torna possível aos grandes consumidores de energia na indústria química, entre outras,  a dar um enorme passo para alcançar suas metas de redução de emissões de carbono, ao mesmo tempo em que ganham visibilidade real sobre seus custos de energia a longo prazo.

Estamos vendo um número crescente de consultas deste tipo de empresas, e continuamos a encontrar soluções competitivas para elas. A indústria de mineração já aceitou a proposta – desde a fábrica da Atlas em Casablanca, que fornecerá energia limpa para a gigante mineradora Anglo American no Brasil, até nossa fábrica Javiera no Chile, que já alimenta uma mina de cobre. Nosso acordo com a Dow mostra o quanto podemos alcançar quando dois líderes em seus respectivos campos se reúnem. Acreditamos que ele abre o caminho agora para a indústria química se juntar à revolução da energia verde por toda a região.